Inspecção a produtos da cadeia de frio importados do Vietname e Brasil sem anomalias

Data de Publicação: 20/04/2022

Considerando que a Administração Geral da Alfândega da República Popular da China divulgou, a 20 de Abril, a obtenção de resultado positivo no teste de ácido nucleico do novo tipo de coronavírus em amostras de embalagens dos produtos aquáticos congelados importados das empresas fabricantes deste produto do Vietname com os números de registo DL 183, DL 717, DL 155 e DL 714 e que o Centro de Segurança Alimentar do Departamento de Higiene Alimentar e Ambiental de Hong Kong notificou, a 19 de Abril, de um caso positivo do novo tipo de coronavírus detectado em amostras de embalagens exteriores de produtos de pernas de frango congelados importados do Brasil, o Instituto para os Assuntos Municipais (IAM) iniciou de imediato o plano de contingência. Nesse sentido, procedeu à tomada de medidas de rastreio, inspecção e revisão dos produtos similares das empresas em causa, exigindo que os comerciantes locais selassem imediatamente os produtos provenientes das empresas em causa, e realizando várias inspecções e testes às amostras recolhidas, nos quais não foram detectadas quaisquer anomalias. Ao mesmo tempo, o IAM suspendeu temporariamente o pedido de importação dos produtos das empresas em causa.

Desde Julho de 2020, o IAM tem realizado vários testes de rastreio de ácido nucleico às amostras recolhidas dos produtos de aquáticos congelados importados do Vietname e das suas embalagens, quer interiores quer exteriores, bem como dos produtos carne congelada importados do Brasil e das suas embalagens, mas nunca detectou o novo tipo de coronavírus. Nos últimos três meses, o IAM, seguindo as medidas de prevenção da epidemia, tem procedido à desinfecção e aos testes aleatórios em relação aos produtos provenientes dos referidos países, cuja entrada é apenas permitida após a aprovação nas respectivas inspecções.

O IAM tem adoptado constantemente medidas de prevenção e supervisão em relação aos produtos alimentares da cadeia de frio importados e elaborado planos de contingência consoante o risco. Sempre que tome conhecimento de que foi detectado o novo tipo de coronavírus nos produtos no estabelecimento de registo em determinado país ou região, o IAM adopta de imediato uma série de medidas a nível de importação para Macau, como a suspensão temporária dos pedidos de importação e a organização de inspecções. Findo o prazo, realiza-se o teste de ácido nucleico do novo tipo de coronavírus relativamente às embalagens interior e exterior e aos produtos alimentares do respectivo estabelecimento de registo, de forma a prevenir rigorosamente a transmissão do novo tipo de coronavírus através dos produtos alimentares da cadeia de frio e da sua embalagem exterior. Ao nível da circulação e oferta dos produtos no mercado, o IAM irá fiscalizar, através do Sistema de Rastreio dos Produtos Alimentares da Cadeia de Frio, a situação de estoque daqueles produtos anteriormente importados do respectivo estabelecimento de registo para Macau e comunicar aos comerciantes para os selar imediatamente, além de destacar pessoal para recolher amostras e realizar novamente o teste de ácido nucleico do novo tipo do coronavírus, com vista a evitar os riscos.

Segundo os dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) e decisão baseada em estudo das entidades de avaliação de risco para a segurança alimentar entre nações, actualmente ainda não existem provas de que o vírus da Covid-19 possa ser directamente transmitido através de produtos alimentares. Contudo, os cidadãos devem prestar sempre atenção à higiene pessoal, à higiene dos produtos alimentares e ambiental, bem como ter em mente o seguinte: 

l   Adquirir produtos alimentares da cadeia de frio apenas em lojas certificadas e de boa reputação. Caso os adquiram online ou por outros intermediários, os consumidores devem estar atentos à origem, condições de armazenamento e transporte dos produtos a adquirir, e certificar-se de que correspondem às leis de Macau para a importação de produtos alimentares vivos e frescos; 

l   Ao efectuar a aquisição, devem-se tomar precauções ao nível da higiene pessoal e outros cuidados que se considerem necessários, como lavar as mãos com frequência, usar máscara de forma adequada e praticar o distanciamento social. Também se deve evitar tocar directamente nos produtos com as mãos, devendo-se utilizar antes pinças ou outros utensílios apropriados para os segurar durante a escolha. Após as compras, devem-se desinfectar sempre as mãos com um produto de gel à base de álcool;

l   Ao chegar a casa com os alimentos, devem-se colocar os produtos, separando-os por tipo, em recipientes com tampa ou sacos próprios para acondicionamento, antes de os guardar no frigorífico; se os produtos possuírem embalagem, deve-se limpar a superfície exterior da embalagem com algodão e desinfectantes com álcool de 75%, guardando-os seguidamente no frigorífico; 

l   Ao tratar de produtos alimentares, devem-se manusear os alimentos crus ou cozidos com diferentes conjuntos de facas, tábuas de corte, outros utensílios e recipientes; após o tratamento, devem-se desinfectar completamente o lava-loiça, os utensílios e bancada, assim como limpar e desinfectar o frigorífico, periodicamente;

l   Os alimentos devem ser sempre muito bem cozidos antes de serem consumidos; em simultâneo, as mãos devem estar limpas antes de comer ou tocar nos alimentos.