Desenvolvimento contínuo e progressivo da recuperação da ecologia florestal

   
Data de Publicação: 29/05/2020

O IAM concluiu no ano passado a primeira fase dos trabalhos de recuperação da ecologia florestal e, este ano, continua a realizar os trabalhos da segunda fase, através de replantação e substituição, plantando cerca de 5000 mudas, juntamente com as 2000 mudas em dois hectares para transformação florestal. Ao todo, serão plantadas 7000 mudas, e os respectivos trabalhos estão a ser desenvolvidos.

Em 2017 e 2018, Macau foi fustigada por grandes tufões e o IAM obteve o apoio da Administração Florestal da Província da Guangdong para arrancar em 2018 com os trabalhos de  recuperação florestal. Devido à grande área danificada e ao terreno complicado das florestas de Macau, os trabalhos de recuperação são muito difíceis e, ao mesmo tempo, sob a perspectiva da conservação ecológica, tem-se tentado evitar afectar o habitat dos animais selvagens, portanto, ao planear a restauração de florestas, é adoptado o método "primeiro o fácil, depois o difícil, passo a passo".

Em 2019, concluiu-se a primeira fase dos trabalhos de recuperação de florestas, plantaram-se cerca de 35 mil mudas nas áreas dentro de 10 metros dos dois lados de 11 trilhos, assim como se continou a proceder à manutenção após a plantação, e esta Primavera começou-se a observar os efeitos, com as pequenas mudas plantadas nos dois lados dos trilhos a apresentarem-se visivelmente crescidas e gradualmente habituadas às mudanças variadas do ambiente natural. Entre elas, destacam-se as de Bauhinia variegata L., Casco-de-vaca-lilás e Spathodea campanulata Beauv., que começaram a florescer em Fevereiro. Os trilhos florestais para observação de flores incluem o Trilho do Nordeste de Coloane e o Circuito da Barragem de Hac Sá.

A segunda fase dos trabalhos de recuperação de florestas está a ser realizada nas florestas dos trilhos de Coloane, com uma área de cinco hectares, através da replantação e substituição por outras espécies, são plantadas, no total, 5000 mudas. Para tal, foram escolhidas espécies de árvores nativas com vida longa do Sul da China, como Liquidambar formosana Hance, Ilex rotunda Thunb. e Syzygium cumini (L.) Skeels, para criar corredores ecológicos com altos benefícios ecológicos e paisagens específicas, melhorando assim as funções ecológicas e paisagísticas das florestas em Macau.

Os trabalhos preliminares de limpeza, escavação de caldeiras de árvores e fertilização já foram concluídos em Março, e estão a ser desenvolvidos progressivamente os trabalhos de plantação. Espera-se que as mudas se adaptem o mais rápido possível às mudanças do ambiente natural das florestas e criem um corredor ecológico com altos benefícios ecológicos e paisagem específica.