IAM analisa alimentos para bebés e crianças à venda no mercado

  
Data de Publicação: 25/05/2020

Para testar a segurança dos alimentos para lactentes e crianças à venda no mercado de Macau, o Instituto para os Assuntos Municipais (IAM) recolheu aleatoriamente 70 amostras de suplementos alimentares para lactentes e crianças, incluindo papas de cereais, biscoitos e sumos de frutas, para efeitos de análise e detecção de metais pesados e micotoxinas. Em todas as amostras testadas, os resultados não mostraram quaisquer anomalias.

Existem no mercado muitos tipos de suplementos alimentares para lactentes e crianças. No entanto, como estes estão ainda em fase de crescimento e desenvolvimento rápido, com órgãos não totalmente desenvolvidos, podem sofrer efeitos adversos à saúde se forem expostos durante um longo período a alimentos contaminados. Para esta inspecção alimentar específica, o IAM recolheu amostras aleatoriamente de alimentos para lactentes e crianças em centros comerciais, supermercados e lojas diversas que vendem este tipo de produtos, incluindo papas de cereais, biscoitos e sumos de frutas, para efeitos de análise e detecção de metais pesados e micotoxinas. Os alimentos foram analisados para detecção de metais pesados incluindo arsénico inorgânico, chumbo, mercúrio total e estanho e para detecção de micotoxinas incluindo aflatoxina B1, não tendo sido detectada qualquer anomalia em nenhuma amostra.

O IAM apela ao público para comprar alimentos para lactentes e crianças em lojas idóneas e para evitar comprar alimentos através de lojas online ou intermediários, a fim de reduzir os riscos de segurança alimentar causados pelo possível manuseio inadequado durante o armazenamento e transporte. Após a compra, os alimentos devem ser armazenados de acordo com as instruções da embalagem e, uma vez abertos, devem ser consumidos o mais brevemente possível. Além disso, os consumidores devem ter em conta as necessidades dos lactentes e crianças nos diferentes estágios de crescimento e desenvolvimento. Antes da compra, as informações da embalagem devem ser lidas atentamente, por forma a escolher os produtos mais adequados à idade das crianças. Durante a refeição, devem ser acauteladas as condições de segurança das crianças, para evitar possíveis acidentes. É ainda aconselhável optar por uma dieta variada, de modo a assegurar uma nutrição mais completa e a reduzir os potenciais riscos para a saúde decorrentes da ingestão de um único tipo de alimento.

O sector alimentar deve apenas importar alimentos para lactentes e crianças de fornecedores respeitáveis, devendo o respectivo transporte, armazenagem e exposição cumprir os requisitos de higiene e segurança. O sector tem ainda a obrigação de arquivar os registos de compra e venda de géneros alimentares, recibos ou quaisquer outros documentos relevantes que possam facilitar às autoridades competentes, sempre que necessário, o rastreio da origem de produtos alimentícios questionáveis e a sua distribuição, ajudando assim a proteger os interesses do próprio sector. Em caso de dúvida sobre a origem, condições de higiene ou qualidade de qualquer alimento para lactentes e crianças, o mesmo não deve ser comprado, vendido ou fornecido.

A fim de garantir a segurança alimentar em Macau, o IAM está permanentemente atento aos riscos de segurança e às condições de higiene dos produtos alimentares disponíveis no mercado local. Os resultados desta inspecção alimentar específica foram carregados na página electrónica de “Informação sobre Segurança Alimentar” (www.foodsafety.gov.mo) e podem ser consultados pelo público através da aplicação móvel “Informação sobre Segurança Alimentar”.