IAM intensifica esforços para prevenir Covid-19 e garantir segurança alimentar, adoptando gestão de prevenção e controlo para alimentos de cadeia fria, ambiente e trabalhadores

   
Data de Publicação: 13/08/2020

Para prevenir rigorosamente a transmissão do novo coronavírus para Macau, através da importação de produtos alimentares de cadeia fria e da sua embalagem, o Instituto para os Assuntos Municipais (IAM) aumenta os esforços de prevenção e controlo, com base nas tarefas de prevenção de pandemia anteriores. Para os produtos alimentares de cadeia fria importados e a sua embalagem, os mercados municipais e o mercado abastecedor, o número de amostras diárias para teste de ácido nucleico aumenta de 30 para 100, e procede-se à desinfecção higiénica rigorosa do ambiente dos estabelecimentos de alimentos de cadeia fria importados (v.g., cais e armazéns), e das embalagens dos produtos alimentares importados, bem como ao registo de entrada e saída dos trabalhadores. Ao mesmo tempo, o IAM mantém uma estreita ligação com o sector da importação a retalho, para executar rigorosamente e de forma conjunta o rastreio da origem dos alimentos de cadeia fria importados e a gestão da segurança higiénica, e manter firmemente a linha de segurança para a prevenção e controlo dos alimentos de cadeia fria em Macau.

O Instituto tenciona prestar atenção ao desenvolvimento do novo coronavírus, e continuar a reforçar os trabalhos de supervisão de alimentos de cadeia fria desde a sua entrada até à sua venda a retalho. Desde a semana passada, foram reforçadas as medidas de prevenção e controlo para os produtos alimentares importados, o seu ambiente e os trabalhadores que se dedicam a estas actividades. Nos cais, terminais de carga do aeroporto e armazéns envolvidos na importação de produtos alimentares de cadeia fria, aplica-se a limpeza e desinfecção diária dos estabelecimentos, e medidas de gestão higiénica, assim como o registo de entrada e saída. Os produtos alimentares de cadeia fria, após a chegada de Macau, apenas podem circular nos mercados depois de ter desinfectadas as suas embalagens e realizados os procedimentos de inspecção de rotina, necessitando de obter aprovação nas respectivas inspecções.

O IAM, aumenta, a partir desta semana, a quantidade de amostras ambientais de mercados e de mercados abastecedores, produtos de importação de cadeia fria e suas embalagens, de uma média de 30 amostras por dia para cerca de cem amostras. Desde meados do mês de Junho até ao presente, já procedeu à inspecção de mil amostras ambientais e produtos alimentares, sendo que todas estas deram resultado negativo, uma vez que não apresentaram anormalidades.

O IAM também tem reforçado sempre a limpeza e desinfecção das zonas de vendilhões, mercados e Novo Mercado Abastecedor, a fim de os ajustar às organizações gerais da prevenção de epidemia. Organizou, nos últimos dias, trabalhadores de distribuição de cadeia fria e de abastecimento, vendilhões de bancas de pescado, etc., num total de mais de mil pessoas, para procederem ao teste de ácido nucleico para Covid-19, tendo todos obtido resultado negativo. Irão seguir-se os testes de ácido nucleico para os respectivos empresários. Em simultâneo, o IAM irá melhorar ainda a comunicação entre sectores, elevando, de forma constante, a eficiência e o resultado do destino da circulação e do mecanismo de rastreabilidade de mercadorias, sob o mecanismo de cooperação existente, bem como aumentar os trabalhos de formação interna de trabalhadores dedicados à inspecção de amostras de produtos alimentares, a fim de fortalecer o mecanismo de resposta a emergências.

Devido à nova organização de migração, é possível que se venha a verificar um aumento na circulação de pessoas e no consumo de produtos alimentares nos mercados, pelo que o IAM apela aos exploradores de produtos alimentares para que assumam a responsabilidade de estarem atentos ao estado de saúde do seus trabalhadores, de modo a garantir a segurança dos produtos alimentares e a higiene ambiental e individual, e que efectuem bem a limpeza e a desinfecção dos estabelecimentos e espaços de trabalho. Na premissa de normalização da prevenção de epidemias, o IAM continuará a reforçar e aplicar diversas medidas de prevenção de epidemia, admitindo que estas venham causar incómodo à exploração, mas espera que os operadores entendam e se ajustem elas, unindo forças para, em conjunto, manter os trabalhos de prevenção de epidemia em Macau.