IAM planta mil árvores na Barragem de Hac Sá

   
Data de Publicação: 08/01/2021

O Instituto para os Assuntos Municipais (IAM) tem desenvolvido, de forma ordenada, os trabalhos de recuperação e remodelação das diversas matas, durante os quais, verificou que, nalgumas zonas da Barragem de Hac Sá afectadas por tufões ocorridos nos últimos anos e outros factores, tinham aparecido várias árvores caídas ou murchas, e também mortas após deterioração contínua devido a danos causados por trepadeiras. Por esta razão, o IAM vai plantar cerca de mil mudas de árvores nas respectivas zonas florestais, numa iniciativa cujos trabalhos preliminares, incluindo limpeza de Mikania micrantha e de árvores antigas, escavação de caldeiras de árvores e melhoramento do solo, serão executados em meados de Janeiro. Solicitamos a compreensão dos cidadãos que realizam passeios pelas montanhas pelo inconveniente que poderá ser causado durante a realização dos referidos trabalhos.

Nos últimos anos, Macau foi afectada por vários tufões severos, as matas sofreram danos de diversos graus, embora haja algumas zonas florestais que não foram afectadas gravemente e possuem grande capacidade de recuperação natural. No entanto, existe ainda uma vasta área florestal que sofreu danos e necessita de recuperação e transformação estrutural contínua. Após um estudo de avaliação conjunta das matas das Ilhas, realizado por trabalhadores do IAM na área entre os marcos de distância 1-06-02 e 1-06-03 do Circuito de Manutenção da Barragem de Hac Sá, verificou-se que, em cerca de um hectare de área florestal, havia várias árvores caídas e murchas, e ainda afectadas gravemente pelas trepadeiras (Hypserpa nitida e Mikania micrantha, entre outras), uma vez que a vasta área coberta pelas trepadeiras fez com que as árvores enfraquecessem e morressem devido ao impedimento de realização da fotossíntese. A par disso, o impedimento da captura de energia solar e do crescimento normal das mudas da zona florestal causou a impossibilidade de regeneração natural da zona florestal. Com vista a evitar a perda gradual das funções ecológicas da respectiva zona florestal, o alastramento das trepadeiras até às zonas florestais saudáveis circundantes e o seu impacto paisagístico, o IAM planeia plantar mil mudas de árvores na respectiva zona. As mudas são maioritariamente espécies arbóreas nativas de Macau, excelentes espécies de árvores nativas, de folha grande, com adequabilidade, longevidade e forte resistência ao vento, para reforçar as funções ecológicas e os efeitos paisagísticos das matas de Macau. As espécies arbóreas a plantar incluem árvores com formas de reconhecida beleza: Machilus velutina, Castanopsis fissa, Rhodoleia championii; árvores nectaríferas e frutíferas: Schefflera heptaphylla, Ilex rotunda, Sterculia nobilis; e árvores ornamentais com folhagem vermelha: Triadica cochinchinensis, Elaeocarpus sylvestri.

Os trabalhos preliminares estão planeados para serem desenvolvidos em meados de Janeiro do corrente ano, sendo primeiro efectuada uma limpeza das árvores antigas, trepadeiras e Mikania micrantha que se encontrem na zona e, em seguida, aberto um pequeno caminho na mata, para facilitar o transporte, realizados a escavação de caldeiras de árvores e o melhoramento do solo, estando prevista para a partir de meados de Março a plantação de novas mudas de árvores. Para garantia da segurança, durante a execução dos trabalhos, poderá ser impedido o acesso a uma parte da zona, de acordo com a situação real, pelo que se solicita a colaboração e compreensão dos cidadãos. Espera-se que as mudas a serem plantadas se adaptem o mais rápido possível às matas, recuperem a ecologia e melhorem o ambiente natural daquela zona.