Mercados públicos aplicam regulamentação do fluxo de pessoas de acordo com a situação

  
Data de Publicação: 10/07/2022

Em articulação com os trabalhos do Governo da RAEM de prevenção epidémica, o Instituto para os Assuntos Municipais (IAM), de acordo com a situação real do fluxo de pessoas nos mercados públicos, adoptará medidas de controlo, nomeadamente solicitação aos cidadãos para fazerem fila na entrada dos mercados e distribuição de senhas no local, a fim de reduzir o risco de transmissão de vírus. Ao mesmo tempo, apela aos cidadãos para fazerem compras nos mercados fora do período de pico, abandonarem o local após as compras o mais rápido possível e cumprirem as instruções de prevenção de epidemia, a fim de reduzir a aglomeração de pessoas.

Actualmente, o fluxo de pessoas nos mercados públicos concentra-se principalmente nos mercados do Patane, Iao Hon e S. Lourenço. O IAM, de acordo com a situação real e as condições ambientais nos mercados públicos, adoptará medidas de controlo do fluxo de pessoas, incluindo solicitação aos cidadãos para fazerem fila na entrada dos mercados e distribuição de senhas no local. Aconselha ainda os cidadãos a abandonarem os mercados após as compras o mais rápido possível. Além disso, apela-lhes para deslocarem-se aos mercados fora do período de pico ou optarem por fazer compras em outros mercados públicos próximos, com vista a dispersar o fluxo de pessoas. Presentemente, as horas de pico do Mercado do Patane ocorrem aproximadamente entre as 8h00 e as 11h00, enquanto no Mercado de Iao Hon e no Mercado de S. Lourenço concentram-se no período das 9h00 às 12h00 e das 16h00 às 18h00.

O IAM alerta novamente aos cidadãos que todos os indivíduos que entrem no mercado devem usar máscara apropriadamente e sujeitar-se à medição da temperatura corporal, para além de fazer a leitura do “código de local”, prestando ainda atenção à higiene pessoal e ambiental. Os guardas de segurança colocados à entrada dos mercados proporcionam também álcool desinfectante às pessoas que entram no local, de forma a reforçar a prevenção epidémica.